terça-feira, 21 de setembro de 2021

As informações nos livros didáticos XI

  Saída dos holandeses do Brasil


Um dos fatos estudados em nossas escolas na disciplina de História é a famosa expulsão dos holandeses do Brasil, mais especificamente da Região Nordeste do Brasil.

A Insurreição Pernambucana: um dos mais importantes momentos da expulsão dos holandeses.


É contado os fatos da Batalha no Monte de Guararapes  no que se chamou Insurreição Pernambucana e nessa expulsão é contado a participação de três personagens que lideraram  a revolta contraa os holandeses, mais especificamente a companhia da Índias Ocidentais, que foram : os senhores de engenho João Fernandes Vieira e André Vidal de Negreiros, o índio Filipe Camarão, e o negro Henrique Dias. 

sexta-feira, 10 de setembro de 2021

As informações nos livros didáticos X

  A Segunda Grande Guerra 

Uma parte da história que sempre se estuda é referente a chamada Segunda Guerra Mundial e nessa parte da história é onde justamente a ocultação (manipulação) dos fatos são mais evidentes e mais grosseiras. Qualquer pessoa que estudou na mesma época que estudei o segundo grau e leu somente os livros didáticos da época fica com a certeza que foram os americanos que decidiram a guerra contra os alemães. Hoje o acesso aos fatos é  mais fácil por termos mais diversidades de livros e autores e tem o fato da existência da internet que dá acesso a um maior volume de informações e interação com pessoas de outras regiões não somente do país como fora dele.

Quem eram os nazistas

segunda-feira, 26 de julho de 2021

Jorge Cintra reconstrói o mapa das Capitanias Hereditárias e mostra erros históricos

 

Mapa das Capitanias Hereditárias: para o engenheiro Jorge Cintra os livros escolares estão errados


Um estudo publicado recentemente nos Anais do Museu Paulista contesta a versão clássica do mapa das capitanias presente até hoje em livros didáticos.
A Versão Clássica do Mapa

O Mapa das Capitanias Hereditárias de  Manoel Maurício de Albuquerque, 
extraído do Atlas Histórico Escolar do MEC.

O estudo "Reconstruindo o mapa das capitanias hereditárias" é de autoria do engenheiro Jorge Cintra, professor titular de Informações Espaciais na Escola Politécnica da USP

O mapa das capitanias hereditárias de cara nova

sexta-feira, 4 de junho de 2021

As informações nos livros didáticos IX

  Os afrodescendentes


Quando estamos estudando a colonização de qualquer país é comum olharmos de onde vem os colonizadores e sua descendência.

No caso do Brasil é comum mostrar que temos descendência em sua grande maioria entre três povos: dos portugueses, dos nativos (comumente chamados de índios) e dos negros africanos ! 

Negros de várias regiões da África

Os portugueses são originários de um único país e única nação, mas quando falamos dos índios e africanos esquecemos que eles não são homogêneos e são constituídos de várias nações. É um erro não levarmos em conta que essas diversas nações são culturas distintas umas das outras.

segunda-feira, 24 de maio de 2021

Conheça o país onde negros são 'naturalmente loiros'

 Os pesquisadores identificaram um gene responsável pela variação da cor do cabelo em negros da Ilha Salomão. Chamado de TYRP1, ele é conhecido por influenciar a pigmentação nos humanos



Nas Ilhas Salomão, um país localizado na no Oceano Pacífico, cerca de 10% da população nativa, de pele negra, tem cabelo naturalmente loiro. Esse fato derruba qualquer noção simplória que temos sobre raça, pois existem muitos meandros e particularidades que a ciência vai descobrindo aos poucos.

terça-feira, 20 de abril de 2021

Serviçais voluntários da publicidade II

 O pior é que tem muita gente fazendo propaganda de graça para essas empresas e se acham um gênio.


Texto relacionado:

domingo, 11 de abril de 2021

A histeria do mercado com o gasto público

Por Wagner de Alcântara Aragão, no site Brasil Debate:



Um dos não muitos programas de Jornalismo com jota maiúsculo na televisão brasileira, o Profissão Repórter, comandado por Caco Barcellos, iniciou a temporada 2021 e, no segundo episódio, trouxe imagens e depoimentos tristes e desesperadores sobre a miséria e a fome, que se acentuaram no Brasil.

Uma pena, porém, o ingrato horário de exibição: uma hora da madrugada de uma quarta-feira (3 de março), praticamente.

Porque aquelas cenas e histórias precisam de ser mostradas em horário nobre. Quem sabe, com audiência massiva, haja uma sensibilização e mobilização maior para o enfrentamento do problema.

AULAS ON LINE

 Durante os últimos anos vem se tornando muito comum o uso cada vez mais intenso das ferramentas para aulas via internet, que são as chamadas Aulas Online. Lembrando que Aulas Online são classificadas como Educação a Distância, mas Educação a Distância já era um termo usado para quem fazia cursos via correios ou mesmo pela televisão e isso antes da existência da Internet. Aulas Online são educação a distância, mas cursos a distância nem sempre são aulas online.


Antes da pandemia, já existia uma preocupação por parte das secretarias de educação em capacitar os professores com as novas tecnologias que iam surgindo.

As dificuldades são as mais variadas possíveis. Vão desde falta de equipamento por parte dos professores, alunos  e da própria secretaria. Com o surgimento da pandemia se percebeu que esses problemas são mais graves do que se imaginava.

segunda-feira, 29 de março de 2021

Os quatro erros pedagógicos do ensino remoto

  Vendido como a “educação do futuro”, emprega modelo do século XIX, baseado no despejo frenético de conteúdo. Uma tragédia em tempos de concentração reduzida e traumas familiares. Como usar ferramentas virtuais para romper atraso?

OUTRASMÍDIAS                                                ALÉM DA MERCADORIA

Publicado 25/03/2021 às 18:40 - Atualizado 25/03/2021 às 18:45


Por Rudá Ricci, no Jornalistas Livres

Rice sustentava que a educação deveria ter o foco na formação para a indústria. Daí, as disciplinas mais importantes seriam aquelas vinculadas à produção industrial: matemática, física, química, biologia e comportamento. A leitura (para o operário ler instruções) completava esta normativa. O educador taylorista, então, dividiu o número de aulas que considerava necessária para o desenvolvimento, em quatro anos do ensino “primário” pelo tempo de aula naquele momento e chegou aos 40 minutos. O módulo-aula, então, não tem relação alguma com qualquer aspecto pedagógico.