domingo, 30 de agosto de 2020

As informações Nos livros Didáticos IV

 

Os nativos selvagens


As cidades antigas encontradas no Novo Continente não abrangia a todas as civilizações existentes no continente. Somente nas regiões invadidas e saqueadas pela Espanha foram encontradas essas cidades e mesmo assim nem toda região controlada pela Espanha foram encontradas civilizações vivendo em cidades. As regiões oeste dos EUA e no extremo sul do continente (são exemplos a região onde fica Argentina, Paraguai, etc) não foram encontrado cidades.


Outras civilizações também vieram saquear o Novo Continente e podemos citar: França, Holanda, Inglaterra e Portugal.

A maior região em extensão onde não foram encontradas cidades é a parte da América do Sul onde hoje fica o Brasil, Venezuela, guianas e Argentina. O Brasil foi a colônia que foi invadida e saqueada pela civilização portuguesa e mais uma vez os livros de história falam na chegada da civilização deixando claro que foi um povo superior chegou ao Novo Mundo !

As informações nos livros didáticos III

 

A chegada da civilização

Uma das coisa que nunca é mostrado nos livros didáticos do ensino fundamental é a existência de vários sítios arqueológicos de dezenas de cidades que existiram no passado aqui no continente americano. No meu caso sequer ouvir falar até terminar o segundo grau a existência de cidades ou restos delas tão antigas quanto as cidades do antigo Egito.

Pirâmide próxima a cidade do México


As antigas cidades que existiam no continente americano se concentravam em sua grande maioria no lado oeste do continente acompanhando a Cordilheira dos Andes e em alguns países da América Central, com maior destaque para o México.

quinta-feira, 13 de agosto de 2020

As informações nos livros didáticos II

 

A Guerra Fria

Com o passar do tempo as pessoas vão aprimorando os estudos e galgando mais altos níveis na carreira escolar e nessas passagens de níveis na carreira escolar as pessoas começam a descobrir que as informações que foram passadas nos anos anteriores foram passadas filtradas ou mesmo manipuladas.

Figura 01. Esse mapa é o padrão usado para mostrar possíveis ataques nucleares e rotas de viagens nos livros didáticos, jornais  e programas jornalísticos nas televisões.


Hoje as informações dos livros didáticos são encontradas em outras formas de divulgação e facilitando o acesso ao um maior número de pessoas. Como o decorrer do tempo tivemos o surgimento das rádios, televisões, computadores, discos gravados com livros e filmes digitais e com a chegada da internet foi facilitado o acesso livros e vídeos digitais. Com o surgimento dos aparelhos portáteis  o se tornou mais fácil  rápido e se conectam a internet a todo momento e em todo lugar as informações passaram a ser mais fáceis de serem manipuladas e também mais fáceis de serem interpretadas. O problema é que as facilidades de acesso em vez de fazerem as pessoas pensarem melhor está fazendo com que a maioria deixe de pensar.

quarta-feira, 22 de julho de 2020

ALUNO VIRTUAL OU ALUNO A DISTÂNCIA?

Com o aparecimento da internet surgiram vários vocabulários e vários tipos de serviços que não eram possíveis antigamente, mas é claro que grande parte dos serviços feitos pela internet (online) são apenas adaptações de serviços que eram feitos manualmente e foram adaptados para funcionarem de maneira digital nos computadores, mas mantendo as mesmas bases operacionais. Um grande exemplo são as apresentações digitais que manualmente eram chamadas de slides. Apenas pegaram apresentações que eram feitas em painéis eletronicamente e passaram a serem feitas projetando slides feitos no computador por intermédio de chamados datas shows e atualmente usando as televisões digitais que na realidade funcionam como grandes telões com nova tecnologia.

Um aluno virtual deixa de existir quando desligado o programa
 ou mesmo o aparelho (computador) que criou a imagem.

segunda-feira, 17 de fevereiro de 2020

As virgens Marias

Toda pessoa que tenha formação cristã conhece a História da Virgem Maria que deu luz a uma criança, uma criança que era filha de Deus que se fez homem na Terra. Essa história é difundida pelos cristão como um milagre que trouxe o filho de Deus para Terra. Toda criança, mesmo não sendo religiosa, mas que foi educada por cristãos, sabe dessa história.

Os cristão difundem suas crenças como se essa história fosse única e exclusiva da religião cristã, mas fazendo uma pesquisa em outras religiões mais antigas e de culturas diferentes, se descobre que essa história não é exclusiva do cristianismo. Entre as culturas que encontramos a história de uma virgem que deu luz ao filho de Deus temos: os egípcios (Horos filho Isis), os gregos (Attis filho da virgem Nana), os Persas (Mithra nasceu da virgem Aúra-Masda), etc.

Horos (Egito)
Mithra (Pérsia)
Attis (Grécia)

terça-feira, 14 de janeiro de 2020

Seis pontos que reafirmam o lugar de Paulo Freire na educação


O educador pernambucano segue sendo alvo de ataques pelo presidente Jair Bolsonaro e pelo ministro Abraham Weintraub


Mentiras à parte, Freire segue com seu legado intacto e suas ideias seguem inspirando estudantes, professores e toda a comunidade educacional ao redor do mundo. Todos entendem a educação como política, não a partidária, mas aquela que emancipa e é capaz de formar cidadãos cientes de seus direitos e capazes de fazer uma leitura crítica do mundo. Para celebrar Paulo Freire, selecionamos alguns pontos da trajetória do educador que o solidificam como pensador que, de fato, contribuiu para a educação. Confira:

segunda-feira, 13 de janeiro de 2020

Professor Uber

Professor Uber: a precarização do trabalho invade as salas de aula

Para burlar a legislação trabalhista, sobra inventividade
Sob o comando do tucano Duarte Nogueira, a prefeitura de Ribeirão Preto, no interior paulista, apresentou em julho um projeto para contratar aulas avulsas de professores por meio de um aplicativo de celular, com o objetivo de suprir as ausências de docentes da rede municipal.

sexta-feira, 3 de janeiro de 2020

O Capitalismo, as facilidades e a dependência V

O controle pela comunicação




Em todos os ramos de nossas atividades se criou as facilidades e consequentemente a dependência. Seja na hora que compramos alguma coisa para consumo próprio, para venda, na realização de nossas tarefas diárias, mas foi na comunicação onde nossa dependência se tornou maior e estranhamente foi nesta área onde as facilidades foram amplamente criadas.

domingo, 29 de dezembro de 2019

O Capitalismo, as facilidades e a dependência IV

Mais facilidades e mais dependência


O processo de industrialização e mecanização de todas as atividades humanas trouxe facilidades e dependência em todos os sentidos, mas alguns são mais que interessantes. Um grande exemplo é na hora de se consumir os alimentos e para facilitar consumir os alimentos foi criado o liquidificador.

Passamos pelas facilidades de se adquirir vestimentas, máquinas que facilitam e aumentam a produção de alimentos, facilidades de créditos para adquirir os produtos e se criou a máquina para facilitar o consumo dos alimentos.

Antes da criação do liquidificador, as frutas, carnes, legumes, etc eram moídas com máquinas movidas a manivela, os sucos eram feitos espremendo os frutos e por esse motivo não se fazia suco de tudo que é tipo. Mas antes de surgir o liquidificar, surgiu os chamados sucos industriais. Na realidade uma mistura de água, açúcar e corantes (eu sempre chamo a todos de ksuco). Eram as chamadas descobertas dos produtos alimentícios artificiais, mas que foram gradativamente esquecidos, já que com o surgimentos de várias máquinas elétricas foram surgindo novas maneira de se produzir alimentos com melhor qualidade. Qualquer pessoas prefere um suco feito de frutas do que um suco artificialmente fabricado !

quarta-feira, 25 de dezembro de 2019

O Capitalismo, as facilidades e a dependência III

A chegada da moda


Nos tempos onde a grande maioria das pessoas viviam em fazenda, o vestuário era simples. As pessoas usavam roupas de trabalho sem preocupação se existia e se estava na moda ou se era cafona. Aliás, não existia a história de era moda e era cafona pelo motivo que os modelos de roupas duravam décadas e passavam por gerações.

As vestimentas eram classificadas em para o trabalho e para festas cívicas e religiosas. As roupas de trabalho não tinha a preocupação com a aparência e sim com a funcionalidade, as roupas das festas a maior preocupação eram com as festas religiosas e essas roupas usadas nas festas religiosas era a chamada Roupa Domingueira.